Um Board digital, já pensou, já olhou?

Transformação digital são as 2 palavrinhas mágicas do mundo corporativo e, claro, das empresas que querem participar da festa (ou do velório) de alguma maneira.

Tudo o que puder se digitalizado, será!

Não sou eu quem diz, muitos dizem. Faz tempo que dizem. Discutir se isso tudo é bom ou ruim, se custa mais ou menos, se vale a pena ou não, se é mais complexo, ou mais inseguro, ou mais isso ou aquilo, me soa com a melhor maneira de perder um tempo enorme com a pergunta errada! Ou, muitas, se auto-enganar para ganhar tempo para não fazer nada!

Outra discussão semântica que me enlouquece é se as empresas “legacy” devem se transformar ou mudar, ou evoluir, ou se reinventar ou se adaptar ou….

Seja lá a palavra que você preferir, cara pálida – você escolhe! – o fato é que ou muda ou morre.

E rápido!

Outra coisa que vejo uma infinidade de discussões é se a coisa é top down, bottom up ou transversal. Ou ainda se o que mais funciona é criar uma estrutura a parte que, depois de dar certo, “come” a estrutura mãe!

Aqui as discussões não são semânticas, nem triviais, nem definitivas. Isso sem é muito importante. Existem muitos estudos que vale se aprofundar. Procure em locais como Harvard Business Review (aqui um deles), Mckinsey (aqui outro estudo), entre muitos outros. Vale procurar, tem muita coisa boa, free e disponível. Minha visão e minha experiência mostram – o que NÃO significa que estou certo! – que os maiores resultados acontecem numa estratégia mais guerrilha, ou seja, mais à parte, fazendo uma coisa menos mainstream que, depois que der certo, contamina a casa mãe! Isso não é uma formula que se aplica a tudo e a todas as empresas, mas é como vejo a vida prática e muitos estudos.

Recentemente tive a honra de ser convidado para me tornar membro do Conselho do C.E.S.A.R e pude comprovar na prática uma coisa que eu percebia de fora: se entre as mentes que dirigem a empresa no longo prazo, que são responsáveis pela visão de futuro da companhia – que normalmente sentam no Conselho – não tiver gente com mindset digital (pensamento lean, exponencial, beta, fail fast, etc.), seja qual for a palavra que a empresa use, seja qual for o método de mudança que ela adote (mesmo os mais guerrilha, que eu gosto), muito, mas muito pouco mesmo (se algo) vai mudar nos rumos da organização!

Não estou dizendo que só acredito nas coisas top down, não é isso! Estou dizendo sim que se no Conselho, não existir ninguém que entenda de verdade o que é um mindset digital (não falo de disciplinas ou ferramentas, me refiro a um pensamento digital) e defenda as iniciativas de mudança da empresa, sejam chamadas de transformação ou mudança, sejam pensadas top down, transversais, ou mesmo mais hackers, no final das contas, na hora do vamos ver, nada acontecerá!

Qualquer mudança, mesmo que super hacker, precisa no mínimo de patronos e um CEO transformador, certamente precisa de apoio pra errar, pra experimentar, para andar rápido e para se permitir repensar o que der errado.

Se você ajuda a montar o Board da sua empresa, pense nisso! Procure mentes digitais para que esses defendam o novo, puxem a régua na direção da inovação e influenciem o seu Conselho e, portanto, o futuro do seu negócio!

Se você vai trabalhar numa empresa que quer se reinventar, e estão te dando essa missão, dá uma olhadela no Board! Se não tiver ao menos uma cabeça com mindset digital por ali, eu olharia outra empresa para esse desafio!

 

Texto publicado originalmente no LinkedIN (aqui)